Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2014
Eu sou poeta e não aprendi a amar.

Malandragem - Cássia Eller
Minha maior falha é fugir de todos, e não escapar de mim.
Ninguém levava a sério seus distúrbio
Suas dores
Seu clamores
E ela teve um fim que diriam que não esperavam
Mas a verdade é que não notaram os sinais
de uma vida miserável
Solitária e agonizante por tantos anos
A morte foi apenas a conclusão
de uma vida não satisfatória que levou por anos
Enquanto todos a ignoravam
Desprezavam
Não valorizaram o seu melhor
Ela se foi para a paz que sempre buscou
Para o amor que sempre almejou
Ou quem sabe, ela apenas teve seu fim.
"E assim começo a contar
Os dias que faltam pra te ver chorar
Pura vingança. Me disseram, eu sei!
Enfim, me despeço, porque a dor e a saudade não vão te deixar."

Pélico
Para ser grande, sê inteiro: nada  Teu exagera ou exclui.  Sê todo em cada coisa. Põe quanto és  No mínimo que fazes.  Assim em cada lago a lua toda  Brilha, porque alta vive Ricardo Reis, in "Odes" Heterónimo de Fernando Pessoa
Menina macho, homem delicado.
Sou eu quando quero, sou eu quando preciso
Sou quem eu quero ser
Quando me der vontade de apenas SER.
"A presença maior na minha vida é a ausência dele."


Ezequiel Neves sobre Cazuza.
É tudo que eu mais quero
Eu não nasci para ser censurada. Meu mal humor me dominou A loucura tomou conta E a solidão ali permanece. Precisei aprender que sou um pouco de cada pessoa Vou sugando - com delicadeza - Tudo o que posso Para construir algo bom e prazeroso Sempre buscando um pouco de mim em cada canto Vou seguindo desnorteada em busca do amor Do amor, da solidão, da euforia e da melancolia. Sou um pouco de tudo, um pouco do mundo Mas exclusiva de mim mesma.

Start again

Telefone toca
É você me chamando para mais uma partida inevitável desse amor Me rendo, me perco É hora do jogo Um beijo, quem sabe onde isso vai parar? Tudo cheio de desejo Querendo saciar o corpo Encher a alma com o nada. UP! Parece que eu não consigo evitar Você ganhou a partida Mas THE END é inevitável Você me perdeu.
Não é aqui o meu lugar
Não é aqui que eu deveria estar
Tem um mundo a minha espera
Tenho uma vida inteira para ser descoberta
Mil vontade para saciar
Mil desejos para redescobrir
Algumas coisas pra aprender
Quero sumir, fugir
Poder viver.

Meu maior e mais gostoso erro.

O MAIS ABSURDO DOS VÍCIOS
Arte de Matisse

por: Fabrício Carpinejar


Se você acha que se apaixonar é ruim, existe algo muito pior: é se viciar em alguém.
É mais do que paixão: é vício mesmo.
Não terá saudade, mas abstinência.
Não terá memória, mas flashbacks.
Não ficará distraída, mas apagada.
Não conseguirá lidar com a paciência, com a calma, com a espera.
Você estará transtornada mais do que transformada.
Foi arrastada, muito além de um arrebatamento.
Sofrerá de dependência química das palavras, dos abraços, dos beijos.
Até a alegria será um desespero.
Você não calcula qual o motivo da ligação.
Odeia estar assim, mas ama estar assim, já que nunca esteve assim.
Só chama o outro de chato, irritante, insuportável, porém nada interrompe a proximidade.
Não tem como largá-lo. As justificativas que arruma para se distanciar acabam acelerando o próximo encontro.
Nenhuma desculpa produz distância, nenhum blefe, nenhuma ameaça, nenhuma cena de ciúme.
Você não terá razão porque já perdeu a razão.
Sua ânsia é por m…
Como se fosse errado, matar minha vontade por que ela me mata.
Vou contentando-me aos poucos,
Fazendo da minha morte, que antes imprevista e sem graça,
Um grande passo para a satisfação.
Vou cavando aos poucos meu próprio tumulo
Sem culpa, sem pena
Tapando os ouvindo para sua antiga reclamação
Na qual pede piedade
Sendo que os próprios covardes da minha vida
Tentaram me matar com a saudade descabida
De um amor transformado em ilusão.
Deixe-me viver, deixe-me sentir
Enlouquecer ao máximo
Viver ao máximo
Morrer sem arrependimentos.
Não esperava que me entendesse
Nunca foi uma exigência
Apenas uma necessidade pra minha sobrevivência.
Te amar
Olhar para sua foto, te odiar
Lembrar de um sorriso seu, e passar a amar mais ainda.
A minha solidão é mais solitária de as que outros
A minha noite é mais escura que a própria escuridão
eu, eu, eu
Minha, minha, minha
Meu egoísmo, tornou meu olhar defeituoso
Não sei falar de outra coisa se não a dor que tanto prezo
Por que é isso que me mantem viva
É a deficiência que me torna única
São meus erros que me fazem ser eu mesma e mais ninguém
Eu sempre prezarei por eles, amém.

Eu não sou comum como eu deveria ser
A normalidade fugiu de mim
Hoje eu quero apenas viver.

Entre eu e você só poderá haver amor.
Não dúvidas, não acasos, não tristezas Apenas amor.  Todo amor que eu tenho, apenas teu Por mérito próprio. Pois fostes o único que quis roubar meu coração E eu lhe dei sem questionar antes de qualquer coisa.
Não nasci pra ser censurada
Acreditar nas verdades que me contam
Ou seguir um padrão da sociedade.
Eu sobrevivi para fazer minhas escolhas
Ser quem eu sempre desejei
Ser eu e apenas eu
Estranho é aquilo de que eu ainda não duvidei.
Não.
Não aguento mais ouvir teu nome
Ler teu nome
Sentir teu nome
Em qualquer objeto que toque Desde o cigarro que inutilmente trago
O vinho que suntuosamente tento engolir
Aos papéis em que agora me debruço.
Eu não agüento mais. Não suporto o peso
Do que poderia ter sido diferente
Muito menos o fato
De não me importarem mais todos os odores, as vidas, e as bocas do mundo
Já que o meu mundo se fez em você Como dormir?
Se acordado trago a única certeza de lhe ver
Fecho os olhos e há cerca de dois palmos
Eternas milhas de minha vida,
Aí está você Por que dormir?
Se nem aos sonhos me restaram suas unhas em minha pele
E se a última lembrança que tenho
São os felizes e dilacerantes sons do nosso amor materializado.
Não.
Eu nunca mais quero dormir. E,
Caso falhe nessa,
Mais uma de minhas insólitas promessas,
Me acorde. Por favor, me acorde.
Sempre com seus sonolentos lábios sobre minhas costas Mesmo que então
Eu nunca mais queira acordar. - Ian Viana

Mais além

Imagem
(...) O som da solidão soprou em minha porta
Eu perdi meu chão e o que eu mais amava


Onde está a minha fé e o que ela me dava?
Sem perder a razão ela me transformava.
Não sou capaz de tudo compreender
Mas sinto que preciso achar Você

(...) E o medo me tomou sem pedir licença
Um vazio então ficou sem sua presença
E a água que eu buscava da minha sede eterna
Eu não sei bem a razão faltou ao meu coração

(...) Sem perceber eu me perdi de mim
Eu sei que eu deixei pra trás o que me equilibrava
A vida é tão curta e eu não via assim
Prefiro me arriscar do nunca me encontrar

Voar pra muito mais além
Do que consigo acreditar, do que posso perceber
Eu vou voar, pra muito mais além
Do que consigo enxergar, do que eu posso entender
Vou voar pra muito mais além
Porque preciso encontrar a paz que existe atrás do Seu olhar
Ainda irei te reencontrar
Eu sei, eu sinto
Independente da situação
Independente do dia
Eu irei rever-te
Abraçar-te
Adorar-te
E então renovaremos promessas
Cumpriremos outras
E enfim, completos.
Por que o meu desejo, eu sei, é o seu desejo
Por que o meu amor, é seu
Assim como o seu é o meu
Eu sei, eu sinto.
Sentimos.
Um amor tão cheio de culpa
Tão cheio de saudades
Tão cheio de promessas
Que transborda desejos
Que transborda vontades
Um amor tão cheio
E dois corpos tão vazios.
Quanta falta faz
Te perder, não rever
Sua ausência tira minha paz.
Um amor, e que amor...
Que ainda não acabou.
Aquele remorso estranho
Aquela raiva inexplicável...
Um amor tão cheio de culpa
Um amor ... e que amor!
"Procurando todos os meus dias só pra te encontrar
Não tenho certeza de quem eu procuro
Eu vou saber
Quando eu te ver
Até então, vou me esconder no meu quarto
Ficando acordado a noite toda só pra escrever
Uma canção de amor pra ninguém"

John Mayer
Eu nunca fui o suficiente
Nunca estarei contente com meus resultados Não posso ser limitado Estou em busca do melhor Mas ás vezes tudo parece ser igual... Eu sei que nunca estarei contente com meus resultados Porém, sigo sorrindo, sigo calado Por que não é de cabeça baixa que irei vencer No meio de tantos troféus, não é assim que irei sobreviver.